terça-feira, 1 de setembro de 2009

Prova de fogo

Ontem, eu e o Morten estávamos super ansiosos por que foi o dia em que recebemos as chaves do nosso recém alugado apartamento. De manhã tive aula de espanhol em Gløshaugen, e no meio da aula uma voz no auto falante avisou que o alarme de incêndio havia sido ativado e que todos deveriam sair do prédio. Saímos todos sem pânico e ficamos esperando do lado de fora. Alguns minutos depois, todos voltamos para a sala, por que era aparentemente um alarme falso.

De lá peguei o ônibus para Dragvoll e tive aula de fonologia espanhola, com a Celia, uma espanholinha baixinha, com cabelos pretos ajeitados num coque, ela parecia uma dançarina de flamenco. Adorei ter aula com ela, ela fala um espanhol mais que perfeito, claro, mas de um jeitinho muito charmoso. Além disso, ela quer que todos participem e pede para os estudantes irem à lousa escrever as respostas dos exercícios. Achei muito fofo, me fez reviver os tempos de escola primária. O melhor disso tudo é que percebo que os alunos se aproximam mais uns dos outros, conversam, guardam os nomes. Conheci uma norueguesa de 50 anos que está na nossa classe e um estudante que fez inglês comigo ano passado, mas com quem eu nunca havia trocado uma palavra. Ele me disse hoje que acha português mais bonito que espanhol. Eu acho que vou começar a me engajar em um projeto de implantar a língua portuguesa na faculdade aqui, não sabia que português era tão apreciado!

Terminadas as aulas na facul, peguei o ônibus para o centro, onde encontrei com meu marido. Esperamos quase uma hora até a corretora poder encontrar a gente na frente do prédio onde vamos morar. Ela escreveu um relatório sobre todas as coisas no apartamento que não estavam em ordem e precisavam ser consertadas e então ela mencionou que eu e o Morten teríamos que descer pela escada de incêndio, para que ela se certificasse de que eu e ele estávamos familiarizados com o procedimento em caso de nosso apartamento ou outro apartamento do prédio pegar fogo. Lá fomos nós, abrimos a janela da cozinha, saímos direto no telhado super escorregadio e íngreme, chegamos a uma pequena passarela, e descemos a escada, muito alta e com degraus de ferro, que quase machucavam as nossas mãos. Ao pé da escada havia uma outra escada, desmontável, que levava ao andar térreo do prédio. A corretora tirou fotos e filmou tudo. Não foi muito divertido ter que descer cinco andares em uma escada de incêndio, mas agora sei como proceder em caso de incêndio. Que tremenda coincidência, duas simulações em um só dia.

Depois que a corretora foi embora, começamos a carregar as caixas que estavam no carro (meu marido foi de carro para o trabalho com parte da mudança) para o apartamento. Subir cinco andares com caixas pesadas não foi uma tarefa das mais prazerosas, mas conseguimos no final. Essas caixas são apenas 10% da nossa mudança, espero que consigamos ajuda da família para carregar o resto. Depois disso ainda fui limpar o jardim de infância e cheguei em casa às 22 hs, completamente exausta. Hoje tive aula com a Celia de novo às 8hs 15min, e agora estou escrevendo este post da faculdade. Não está sendo uma semana fácil, mas creio que até o final da semana estaremos instalados em nosso cantinho e isto compensará todo o esforço e cansaço.

2 comentários: