quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Mais um verão se vai

Meu terceiro verão na Noruega está chegando ao fim, e eu estou mais do que satisfeita com tudo o que consegui fazer. Reformas na casa, trabalho de verão, viajei um pouquinho sem ficar com a consciência pesada, descansei. Semana que vem ainda não haverá aulas, somente reunião de orientação para os novos estudantes, mas mesmo assim vou começar a ir à faculdade diariamente para comprar livros, tentar vender meus livros do ano passado (rendem um bom dinheirinho e desocupam minha estante) e conferir as novidades. Incrível como já estou partindo para meu segundo ano de estudante, como passa rápido! Às vezes bate um desespero saber que os anos passam e eu em uma faculdade em vez de trabalhar com o que aparecer e ganhar dinheiro. Mas, outro dia, filosofando, cheguei à conclusão de que, se vivemos aproximadamente 80, 90 anos, o que são míseros 3, 4 anos? Se eu tiver sorte de viver até os 90, isto significa que só vivi 1/3 de tudo o que ainda tenho para viver! Estas idéias me animam a continuar e esperar pelo melhor.

Ontem assisti a um filme chamado "The Holiday", que achei muito longo e até entediante em certos momentos, mas o que me interessou foi a idéia de trocar de casas nas férias. Por exemplo, um casal francês que queira passar férias na Noruega troca de casas com os noruegueses, que passam suas férias na França. Vou me informar mais sobre este sistema e quem sabe, quando tivermos nossa casinha de novo, não experimentamos.

Estou contando os dias para meu trabalho de verão acabar. O meu colega está bem mais fácil de se lidar, e agora eu consigo decidir muitas coisas e ele acata. Sexta-feira passada, eu me senti meio que vingada pelas palhaçadas que ele tem aprontado. Primeiro, ele marca o horário de eu ir buscá-lo e nunca, mas nunca está pronto quando eu chego. A 'chofer' aqui tem que ficar esperando 10, até 15 minutos. E não para por aí. Na sexta, o garoto, que já tinha atrasado o trabalho por que não estava pronto quando eu cheguei, me inventa de ir comprar comida para passarinho. E ele simplesmente diz para a 'chofer': "Pare aqui que eu vou comprar comida para passarinho". Acontece que havia uma placa enorme de proibido parar ou estacionar. Eu disse isso a ele e ele disse que era para eu dar uma volta no quarteirão. Dei uma volta e cadê ele? Dei outra volta e ele apareceu. Eis que ele olha no relógio e se dá conta de que a loja dos correios fecharia em 10 minutos e nós ainda não tínhamos limpado lá. No final deu tudo certo e eu só ria por dentro, como eu gostei de ver o garoto em pânico por causa de seus próprios atrasos.

A foto é de um dos lírios que abriram no nosso jardim em Frøya.

Um comentário: