sábado, 23 de outubro de 2010

Tudo ao mesmo tempo agora

Post do dia 21 de outubro

Já virou redundância escrever em cada postagem que minha vida está corrida. E está mesmo. Especialmente agora, meio de semestre com trabalhos para entregar, provas para corrigir, mais e mais coisas acumuladas para estudar. Hoje, por exemplo, vou terminar de escrever a versão final do meu trabalho de história (tenho que comparar o processo de formação dos estados-nação na Alemanha e na Noruega) e semana passada quebrei a cabeça para resolver o primeiro trabalho de sócio-economia. Aliás, esta matéria está entalada na minha garganta - não entendi bem por que estudar economia num curso para pessoas que vão lecionar estudos sociais na escola primária. História tem tudo a ver, mas sócio-economia, com cálculos de PIB, custos marginais a longo prazo, etc... não sei não. Geografia que é bem mais pertinente nem sinal.

Semana retrasada fomos ao casamento de uns amigos em Oslo. Chegamos na cidade na sexta-feria de manhã e aproveitamos para ir à embaixada para renovar meu passaporte. Me atenderam rapidamente e muito bem (apesar do legendário senhor asiático ainda estar trabalhando lá - sem ainda ter aprendido português!) e saí de lá com meu novo passaporte em mãos:


Saindo de lá demos um passeio a pé por Oslo e passamos em frente ao Instituto Nobel da Noruega - onde exatamente naquele dia anunciaram o vencedor do prêmio deste ano (o chinês Liu Xiaobo).



As várias unidades móveis de emissoras de TV presentes no local não me deixam mentir:


No sábado, dia do casamento, tivemos tempo de nos arrumar e chegar até a igreja. Eu achei um penteado fácil e bonito no You Tube com a ajuda desta moça aqui. Meu marido foi padrinho e teve que fazer discurso (aqui os casamentos costumam ter muitos discursos). Foi um final de semana diferente e especial. E tiraram uma foto nossa que eu amei:


Esta semana na escola onde trabalho tive uma missão diferente. É que todo ano acontece um evento chamado Operasjon Dagsverk (Um dia de trabalho). Trata-se de um dia em que os alunos de 13 a 16 anos de todas as escolas da Noruega não vão à escola e tem que fazer algum tipo de trabalho remunerado (na empresa dos pais, limpar a casa, vender algo) e conseguir uma quantia mínima (cerca de 200 coroas, mais ou menos 70 reais por aluno) que será doada para financiar projetos de ajuda em um país escolhido. E este ano o país escolhido para receber esta ajuda é o Brasil. Mais precisamente projetos educativos, esportivos e artísticos que ajudam a manter crianças que residem em favelas longe do narcotráfico. Inclusive o nome da campanha é Uma cidade, dois mundos. E eu fui convidada para dar palestras para os alunos sobre o Brasil, as favelas e a situação dos jovens que vivem ali. Foi uma grande responsabilidade para mim, me preparei e acho que consegui transmitir boas informações. Incrível como os alunos perguntam tantas coisas interessantes e expressam interesse em ajudar. Este é o cartaz da ação deste ano:


A Operasjon Dagsverk vai ser nesta próxima quinta-feira. Até comida brasileira vai ter (eu que dei a receita). Assim que possível eu posto mais novidades. Agora eu tenho que voltar pro meu trabalho de história...

2 comentários: