sábado, 16 de janeiro de 2010

Em estado de graça - meu dia chegou!

Foram pouco mais de três anos nada fáceis, nos quais tive que amargar o fato de que, ao mudar para a Noruega, teria que abdicar de toda minha experiência profissional no Brasil e trabalhar com o que aparecesse. Tive patroas e colegas maravilhosos que me ajudaram e outros que não foram tão legais comigo. Tive que acordar às 4 horas da madrugada e ir trabalhar, dirigi sobre estradas cobertas de gelo, o carro derrapou para fora da estrada, enfim, daria para escrever um livro (o livro não saiu, mas tenho um blog onde está tudo registrado).

Há uns dois meses me cadastrei na página de uma empresa de recursos humanos e dois dias depois recebi um telefonema solicitando que eu comparecesse a uma entrevista. Finalmente minha experiência como professora no Brasil e minha competência em idiomas parecia ter impressionado uma empresa norueguesa de recursos humanos, que me recrutou.

Depois de algumas oportunidades de emprego que não pude aproveitar por causa dos horários da faculdade e das provas, eis que há duas semanas recebi uma proposta irrecusável para ser professora de inglês. A maior ironia é que a vaga é em Frøya, a ilha onde moramos quando cheguei do Brasil! Vou trabalhar dois dias por semana, com despesas de hospedagem, alimentação e transporte pagas. Vou poder ir à faculdade e não vou mais precisar trabalhar de noite. Não precisei pensar muito para aceitar.

Falei com o diretor da escola na segunda-feira e ele me ligou na terça de manhã para dizer que o emprego era meu. Uma coisa que me marcou é que ele disse que eu falo um norueguês impressionante. Parece que aquele mito de que imigrantes tem mais chance de conseguirem um bom emprego por falarem um bom norueguês do que por apresentarem muitos diplomas é verdadeiro. Pelo menos se mostrou verdadeiro para mim.

Vou lecionar quatro classes a princípio e ontem eu fui conhecer meus futuros alunos. Já tenho minha escrivaninha na sala dos professores e a maioria dos funcionários já se apresentou. Na próxima semana vou assumir as classes. Vou continuar a limpeza no jardim de infância até quarta-feira e então me despedir da minha carreira de faxineira na Noruega. Não descarto a possibilidade de ter que voltar a limpar, mas sei que com um emprego de professora no currículo minhas chances de continuar sendo professora vão aumentar.

Agradeço imensamente a Deus, ao meu marido pelo apoio, a todos que acreditam em mim, estejam vocês perto ou longe e a mim mesma, pela paciência e por eu nunca ter perdido a fé e a esperança de que meu dia iria chegar.

7 comentários: